Violeiros de Palmital e a festa do povo

Imagem

Este post trata de uma experiência vivida na cidade de Palmital, no interior de São Paulo. Desembarquei lá, por conta e risco, no dia 25 de dezembro para filmar os violeiros que tocam na festa de Santos Reis. Descobri muito mais que isso. Fui muito bem acolhido por um povo de grande fé e dedicação, pessoas que realizam a festa de Santos Reis com a fama de ser a maior do nosso país. Muita coisa boa aconteceu durante os dias em Palmital. Nesta passagem, inclusive, fui batizado com o codinome de Mário Maravilha, em referência às frases de um palhaço talentosíssimo e de sábias palavras: “VIVA O CRAVO, VIVA A ROSA, VIVA A FLOR DA MARAVILHA”. 

O foco na viola caipira, porém, não foi perdido. Muito pelo contrário. Nos dias antes da festa, acompanhando a Companhia Água das Anhumas pela jornada nas casas, tive a oportunidade de observar muito de perto o trabalho dos violeiros junto aos outros integrantes da bandeira. Fiz entrevistas com estes violeiros, tratando da importância do instrumento dentro de uma Folia de Reis e das formas de aprendizado do instrumento neste contexto tradicional. Também coletei, em imagem e som, demonstrações de como se tocar a viola nesta manifestação cultural religiosa. Neste processo pude perceber que, apesar de muito simples, a técnica empregada na execução é singular e insubstituível.

Por fim, posso dizer que encontrei violeiros de vários perfis tocando na companhia: há aqueles que aprenderam exclusivamente para tocar na Folia; aqueles que começaram acompanhando a Folia e depois se aprimoraram; também aqueles que nasceram com a viola debaixo do braço, que tocam de tudo, e se sentem honrados em acompanhar a bandeira e participar da festa; e inclusive aqueles violeirinhos que estão aprendendo . Crianças, jovens, adultos e velhos. Homens e mulheres, que empunham a viola para realizar uma festa de muita tradição e fé.

Realizei a última entrevista no dia 13 de Janeiro, um dia depois da grande festa, e embarquei no Andorinha, levando muita saudade de todos.

Estes registros realizados em Palmital estão destinados a compor um documentário que começarei a editar em breve. Aguardem.

Tem muito material que pretendo postar aqui. Por enquanto, ficamos com a gravação de uma reunião informal, realizada numa deliciosa tarde de sol. O pessoal tocou Chalana, música de Mário Zan imortalizada por Almir Sater, e um pagode de viola.

Assista ao vídeo.

Obs: para assistir em HD basta alterar a qualidade do vídeo no ícone que parece uma engrenagem, encontrado na parte de baixo da janela do youtube.

9 comentários em “Violeiros de Palmital e a festa do povo”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s